Guerra na Faixa de Gaza – frases soltas

É minha opinião que, vendo a coisa de um ponto de vista pragmático, a grande culpada do que vivemos hoje é a comunidade internacional, nomeadamente aquela que, desta, tem poder sobre a situação: EUA, UE e ONU.

A esta cabia intervir quando era clara para todos a quantidade de erros morais e estratégicos de parte a parte.

Posto isto, falemos brevemente das duas partes:

1. Israel cumpriu o cessar-fogo durante o tempo devido, e apenas cortou as ligações a Gaza em retaliação aos rockets atirados. Facto.

2. Acima de tudo, a guerra é, quanto a mim, um erro táctico de Israel, visto que com o tacto certo, este país conseguiria que o Hamas definhasse e a Fatah ganhasse as próximas e recentes eleições. (as sondagens mostram-no).

3. O Hamas é, inegavelmente, uma organização terrorista. Qualquer manifestação que não parta explicitamente deste pressuposto é enviesada. Posto isto, contudo, a população – parte dela – não tem culpa. É sobre ela – mas nunca descurando o combate veemente ao Hamas – que se deve debruçar a atençao e – mais – a acção da comunidade internacional. Ouvi hoje a descrição da primeira-dama síria na CNN (figurino completamente diferente do imaginável) – parcial, evidentemente – e só posso qualificá-la de impressionante. Não me refiro à guerra. Falo da situação que dura há meses, anos. Tudo isto com a complacência da comunidade internacional. Enquanto os “travar de razões” entre o Hamas e Israel faziam os escaparates, estas pessoas sofriam as consequências do embargo que Israel – legitimamente, diga-se (e é este o problema) – impunha

4. Separo a situação da população de Gaza dos eventos da actual guerra propositadamente. Não são a mesma coisa. O que hoje se passa é uma guerra. Como o nome indica, uma guerra implica confronto entre os dois lados, tentando aniquilar o inimigo. Não é particularidade desta guerra, faz parte do conceito. Como tal, é natural que Israel tente aniquilar o Hamas. Ninguém poderia seriamente pensar que Israel fosse abrandar apenas porque o Hamas, cobardemente, se faz servir de escudos humanos. O Hamas espoletou, conscientemente, esta guerra. O uso de escudos humanos não é, portanto, um último recurso, mas sim uma táctica.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Guerra na Faixa de Gaza – frases soltas

  1. Paulo Jorge Pereira diz:

    Ler o artigo de Inês Pedrosa no Expresso de 10/01 é essencial. Assino por baixo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s