O “Conceito” Andanças

tinha (e penso que o J. Torgal também) abordado este festival aqui no blog, mas penso que, este ano, há razões por demais evidentes para nem sequer lá pôr os pés. 150€, com “acesso à cantina” (traduzindo: possibilidade de comprar as senhas de refeição) e ao parque de campismo é, em bom português, um verdadeiro assalto. Cumpre lembrar que se trata de um festival em que os músicos não são remunerados e em que os funcionários trabalham em regime de voluntariado (excepção feita à segurança e limpezas). A organização não deve ter em linha de conta que os músicos portugueses também comem e têm contas para pagar.

Esperemos que a Associação “Pé de Xumbo” (a promotora do festival) colha frutos bem amargos do que está a semear, para que no próximo ano deixe a sofreguidão de lado no que diz respeito às receitas de bilheteira.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

7 respostas a O “Conceito” Andanças

  1. João Torgal diz:

    Nem mais… Por mais que o festival seja interessante e que o ambiente criado pelas pessoas seja óptimo, recuso-me a pactuar com este assalto. Fui nos últimos dois anos, mas, enquanto continuar assim, dificilmente voltarei ao “Andanças”…

  2. Pingback: cinco dias » O “conceito” Andanças

  3. André diz:

    Gerou-se um debante interessante no 5 dias sobre esta questão. Espreitem.
    Como habitual, houve eco na pédexumbo -d epois de já ter publicado as contas de [quase] todas as edições do festival, dá mais um passo e propõe:

    nos últimos anos, têm sido levantadas várias dúvidas sobre as contas do andanças, críticas sobre aumentos de preços, etc.
    uma vez que as contas são claras, mas por e-mail e documentos escritos não ficam esclarecidas todas as situações, achámos que a melhor forma de o fazer, é através de uma conversa aberta e franca.

    programámos, assim, uma conversa sobre as “contas do andanças”, em pleno andanças. estarei lá eu disponível para responder a tudo o que sempre quiseram saber sobre as contas do andanças!

    será na sexta feira, dia 6, 16h, na igreja [a igreja está fora do recinto controlado do festival, não é pois preciso bilhete. Se quiserem aproveitem, no mesmo local, os 2 ou 3 concertos diários].
    até depois,
    diana

  4. Alexandre diz:

    Choca-me enquanto artista que um Festival use o trabalho artístico de colegas meus à borla, mais o facto de isso ser divulgado publicamente causa-me uma enorme tristeza. Num país em que a nossa profissão e as nossas necessidades são completamente desprezadas é até com algum desprezo que leio as regras deste Festival e da entidade organizadora.
    Sendo uma estrutura com diversos apoios fixos institucionais e a longo prazo (camâras, Dgartes, fundações) ,pé de xumbo, como vos é a vocês possível defenderem este tipo de actuação?
    Este tipo de actuação é o mesmo que a Dgartes tem tido nos últimos tempos e o Ministério da Cultura. Um artista tem direito como qualquer outro cidadão a ter uma familia, a poder ter uma casa, a poder viver dignamente com o seu trabalho.
    Para os artistas, mesmo que em início de carreira não aceitem este tipo de eventos, existem hoje cada vez mais espaços para tocar, sei que receberão pouco por vezes, mas o nosso trabalho deve ser remunerado mesmo que os valores sejam baixos.
    Aos artistas fora dos grandes centros organizem-se, dialoguem com as instituições vocês mesmos, não deixem que dinheiro que é nosso e destinado à criação e apresentação de espectáculos caia em mãos de pessoas que não são artistas e que não usam em nosso benefício. Quanto aos artistas da área da dança, organizem vocês os vossos workshops, quanto aos charlatões que se fazem passar por artistas fiquem nesse festival!

  5. João diz:

    Bem 30.000 participantes:
    Se ficarem todos só um dia dá 750.000€ de receita
    Se ficarem os 4 dias dá 4.500.000€ de receita
    E com estes valores não há dinheiro para pagar aos artistas??????
    Isto com apoios (receitas) acrescidas da Dgartes, autarquias, e eu sei lá mais o quê….
    A isso chama-se tráfico (des)humano de artistas….

  6. João diz:

    Corrijo em 4 dias deveria estar escrito 6/7dias como consta da tabela
    assim 1 dia com 30.000 participantes 750.000€
    6/7 dias 4.500.000€

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s