Funeral

Depois do ‘velhinho’ Napster e do insuportável Kazaa, hoje foi a vez do Pirate Bay – ou melhor, dos seus quatro criadores – ser fechado. Os quatros mancebos foram condenados a um ano de prisão e a pagar uma multa.

Independentemente da bondade do tema – que é bastante bicudo – não me parece que a prisão seja a melhor solução. Creio que uma multa mais elevada faria mais sentido.

Em qualquer caso, parece-me evidente que este não é de todo o modo de acabar com a coisa.

Gostava de lançar o tema – não a condenação, o mais geral, a pirataria – para a ‘Mesa’. Parece-me claro que uma coisa é inegável: 20 € por um CD, 25 € por um DVD é demasiado e, como tal, a tecnologia e a consequente pirataria vieram de certa maneira colmatar esta falha. Por outro lado, 0€ é talvez barato demais. No caso dos CDs, pode-se argumentar – e eu concordaria agradavelmente – que a música deveria ser gratuita e os concertos – esses sim – pagos. No entanto, em relação aos DVDs, a coisa é menos linear. Ainda há o cinema, é certo, mas por quanto tempo?

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

3 respostas a Funeral

  1. David Paula diz:

    O grande problema é que a internet abre-nos possibilidades infindáveis e, se numa janela tens o ITUNES ligado ou o beatport ou afins, na outra podes ter um site de torrents, ou o beemp3 ou o ou o emule ligado. Daí que em vez de pagar 1 euro ou 1 dolar por musica, eu prefira não pagar nada. Confesso que sou grande downloader. Adoro musica, de todos os generos e feitios, mas seria incomportável comprar todos os cds que ouvi no último ano, por exemplo, os meus pais não ganhavam para os cds. Então restam-me duas opções: Não comprar e “jogar limpo” ou então fazer um download e ser musicalmente mais culto (muito mais culto), até porque nem todas as músicas de todos os cds de todas as bandas estão disponíveis nos MY SPACES e YOUTUBES. O que faço hoje em dia é comprar o estritamente necessário (aqueles cds demasiado bons para o ter só no pc) e esperar um ano para comprar mais em feiras do disco e promoções das lojas (na última feira do disco gastei 40 euros em cds e trouxe 7 ou 8 . Em condições normais, traria 2 ou 3…

  2. Miguel Pessoa Vaz diz:

    “No caso dos CDs, pode-se argumentar – e eu concordaria agradavelmente – que a música deveria ser gratuita e os concertos – esses sim – pagos.”

    Então podemos roubar livros de poesia e só pagamos se ouvirmos o autor a declamar os poemas?

  3. José Maria Pimentel diz:

    Meu imberbe, eu fiz questão de ressalvar que no caso do DVDs o mesmo não se aplicava! Como é evidente, no caso dos livros também não…

    David Paula, eu diria que, pelo menos em relação aos CDs, é difícil não concordar que os preços aplicados são/eram escandalosos. Com aqueles preços eu andaria a ouvir os mesmos CDs há bastante tempo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s