-Existe corrupção no futebol português? Sim…!!! Essa corrupção é a favor do F.C. Porto? Não!!!

– A Dona Carolina Salgado afirmou no seu livro ter tentado matar o Dr. Ricardo Bexiga?

Sim.

– A Dona Carolina Salgado está a ser acusada de tentativa de homícidio?

Não.

– A Dona Carolina Salgado é considerada “com credibilidade” pelo MP, na assumida tentativa de homicidio?

Não.

– A Dona Carolina Salgado é a única testemunha das alegadas tentativas de corrupção do F.C.P.?

Sim.

– A Dona Carolina Salgado é considerada “com credibilidade”, nas acusações de corrupção do F.C.P.?

Sim.

 

Agora é fazer a prova dos nove…

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

27 respostas a -Existe corrupção no futebol português? Sim…!!! Essa corrupção é a favor do F.C. Porto? Não!!!

  1. Joao diz:

    Oh miguel, miguel… às vezes juro que gostava de saber se dizes essas coisas só por arremesso retórico ou se acreditas mesmo nelas.
    Acho que vou perder a vergonha… sinceramente… no íntimo da tua consciência… O Pinto da Costa foi nos últimos 25 anos de futebol português um dirigente éticamente inatacável, nunca existiu nem o menor indício de algo que se pudesse, ainda que remotamente, considerar como corrupção, e de repente, vinda do nada, aparece a Carolina Salgado e enfeitiça Portugal inteiro com um conjunto de descaradas mentiras que levam a esta condenação.
    Errei por muito?
    Vá… faz o meu dia Miguel…

  2. Miguel Pessoa Vaz diz:

    Não vou comentar.
    Vamos esperar que a Juventus, Milan e Fiorentina fiquem fora das provas da UEFA. Ah, e já agora o Steua de Bucareste e o Cluj também…

  3. João Torgal diz:

    A diferença é que, enquanto nos outros países os dirigentes das respectivas ligas profissionais defendem os seus clubes associados, aqui existem pessoas como o Sr. Cunha Leal que, qual bom samaritano lampião, manda pela calada um fax mentiroso à Uefa para conseguir levar o Benfica à Champions na secretaria. Que vergonha.

    FORÇA TURQUIA

  4. Miguel Pessoa Vaz diz:

    Era bem feito que levassem 4-0 do Hallmstad ou Malmoe na pré-eliminatória.

  5. Joao diz:

    Primeiro, não sou jurista por isso escuso-me a comentar uma decisão disciplinar, a da UEFA, sobre a qual não tenho o mínimo conhecimento de causa. Numa apreciação leiga, a decisão parece inatacável mas acredito plenamente que possa não o ser.
    Não retiro desta punição nenhuma alegria suplementar que não seja a dos seus efeitos colaterais: ver o meu clube participar na próxima época numa competição europeia, a meu ver, mais espectacular. Não sou dado a esse tipo de schadenfreunde clubístico. Do mesmo modo, também não vejo nisto nada que transcenda o plano estritamente futebolístico. Não participam na CL este ano. Ponto. Sem dramas. Podia citar inúmeros exemplos de outros grandes clubes europeus que não estiveram presentes no passado mais próximo sem que isso tivesse a mínima repercussão nesses clubes.
    Só me custa um bocadinho ver pessoas que andam sempre com a ética na ponta da língua e da caneta a defender o Porto com o sectarismo mais primário de todos. É a sina do futebol português: das meninas do Pinto da Costa às agressões “involuntárias” do Joao Pinto aos árbitros, a culpa é sempre das instâncias internacionais, que se unem em cartel para prejudicar o Portugal impoluto. Podem ser uns filhos da puta mas são os nossos filhos da puta. É esse o raciocínio, certo?

    P.S.
    Torgal, ao menos ouve as argumentações delirantes do Pinto da Costa com atenção. O Cunha Leal demitiu-se da Liga vai para uns 3 anos. Imagino que no teu mundo paralelo a Comissão Disciplinar da UEFA, cuja função exclusiva é analisar o comportamento dos seus clubes associados, nem se lembraria que o Porto foi condenado por corrupção não fosse a FPF enviar um fax a informar. Não devem receber televisão lá na Suíça, coitados.
    Posso ser eu o maluco mas se calhar vou pela versão oficial em que a UEFA pediu as cópias das decisões nacionais e a FPF, num acto de traição à Pátria inominável, respondeu.
    Pelos vistos, na tua óptica, as Federações Nacionais de Futebol servem para encobrir e proteger os seus maiores clubes profissionais, de preferência sem ligar a essas minudências de legalidades e regulamentos e por aí fora. Essa do “manda pela calada um fax mentiroso à UEFA” é, como diria o outro, todo um programa.

  6. Miguel Pessoa Vaz diz:

    “Não participam na CL este ano. Ponto. Sem dramas. Podia citar inúmeros exemplos de outros grandes clubes europeus que não estiveram presentes no passado mais próximo sem que isso tivesse a mínima repercussão nesses clubes.” —> Eu aceitaria não participar na CL deste ano, se isso fosse por demérito desportivo, como ficar, por exemplo, em 4º lugar. Há quem não aceite…

    “a decisão parece inatacável ” —> Uma decisão que é baseada somente numa Dona Carolina Salgado, é tudo menos inatacável.

    “a culpa é sempre das instâncias internacionais” —> Neste caso a culpa principal não será das instâncias internacionais, mas sim das nacionais! Quer da Liga, por julgar o F.C.P., sem sequer ouvir a testemunha-chave do processo, a Dona Carolina Salgado(tb nao interessava mt ser ouvida, pq ela não é mais que uma cassete que reproduz o que certas pessoas lhe ensinam), quer da Federação, a partir do momento em que um Sr. chamado João Leal, envia notificações facciosas para a UEFA com o carimbo da FPF, mas sem a FPF ter conhecimento.

    “O Cunha Leal demitiu-se da Liga vai para uns 3 anos” —> Secalhar é por isso que o Benfica não ganhou nenhum título desde então… Já que pa LFV, é mais importante ter nomes na Liga que reforços para a equipa de futebol (como o próprio disse), não se percebe como retira da Liga esse peão chamado Cunha Leal, que lhe deu um campeonato de bandeja, naquele que é considerado unanimemente, o Campeão com mais “casos” do futebol português nos últimos 20 anos.

    “e a FPF, num acto de traição à Pátria inominável, respondeu” —> Como já disse em cima, não foi a FPF que respondeu. Foi um Sr., de seu nome João Leal, que respondeu sem conhecimento dos seus superiores, e colocou um carimbo da FPF.

  7. Joao diz:

    Oh Miguel… se o Pinto da Costa dissesse que a culpa foi dos Correios que enganaram a UEFA com um carimbo de formato tendencioso, imagino que tu aqui estarias para culpar inequivocamente os CTT.
    Vamos por partes… a UEFA exige à FPF que lhe envie duas informações: as conclusões dos processos disciplinares envolvendo o Porto e o andamento do processo a nível de recurso.
    Como resposta, o “Sr” João Leal, esse malandro que por acaso é simultaneamente o director do Departamento Jurídico da FPF, envia para a UEFA as conclusões da Comissão Disciplinar nacional. E é neste ponto que tu, Miguel, descobres a iniquidade neste caso. Temos um director do Departamento Jurídico da Federação que, num misto chocante de insolência e perfídia, vai pela calada e… faz o seu trabalho. Mas para ti, pelos vistos, o director do Departamento Jurídico da Federação não está habilitado a tratar dos assuntos jurídicos da Federação. E faz tudo isso sem que a “FPF”, essa entidade mística e intangível que pelos vistos não é formada pelos seus directores e funcionários, tenha “conhecimento”. O Gilberto Madaíl também já veio dizer que não houve problema nenhum com a comunicação à UEFA por isso constato com tristeza que nos encontramos na situação inédita de termos uma federação em que, escândalo!, quem trata das questões jurídicas é o Director do Departamento Jurídico com a cumplicidade e cobertura do Presidente. Imagino que para ti o único com autoridade para representar a FPF nesta questão é o Kinas.

    Mas como eu sou um tipo de boa fé, dedico-me a perder tempo a ler a notificação “facciosa” para a UEFA, no intuito de descobrir a infame frase carregada de “subjectividade” e que constitui uma “inaceitável tomada de partido”. Devo confessar que fiquei um pouquinho desiludido quando descobri apenas isto:
    “Ficou provado que a “Futebol Clube do Porto – Futebol SAD”, sociedade desportiva, cometeu a infracção disciplinar muito grave de “corrupção da equipa de arbitragem”, punida pelo artigo 52, parágrafos 2 e 3 do Regulamento Disciplinar de 2003/04, com referência ao parágrafo 1, na forma tentada”.
    Então… e a subjectividade? Nem um adjectivozinho? Um advérbio de modo aqui e ali? Nada? Ah… mas argumenta o Sr Francisco Marques, que aparentemente lê as frases a metro, existe uma separação de 22 palavras (que nas minhas contas até são apenas 19) entre …”equipa de arbitragem” e “na forma tentada”, criando assim um efeito mágico de condenação automática do Porto que os meus meros 21 anos de Língua Portuguesa não conseguem descortinar. Mas, se há coisa de que me posso gabar, é de ser um eterno curioso, e, na impossibilidade de poder contactar directamente o Sr Marques, encontro-me na necessidade de te pedir que me ilumines sobre esta questão. 22 palavras é muito? É pouco? A partir de que número de palavras é que isto funciona? E funciona exactamente como? Pelo menos com a UEFA resultou, já que, seguindo o raciocínio, se não fosse a perfídia das 22 palavras, eles se preparavam para ilibar o Porto. Também funciona em qualquer outra situação? E em qualquer língua? Enfim… é um mundo de plasticidade semântica ao qual me quero ardentemente juntar.

  8. Miguel Pessoa Vaz diz:

    Pois é Gil. Isso para ti não tem interesse nenhum. Então explica-me lá, porque é que a FPF, teve necessidade de ir mandar outro decumento para a UEFA, se esse estava assim tão bem escrito?

    AH, e não te esqueças que o mais escandaloso deste processo é :”Ficou provado que a “Futebol Clube do Porto – Futebol SAD”, sociedade desportiva, cometeu a infracção disciplinar muito grave de “corrupção da equipa de arbitragem””. Ai foi? Mas quais são as provas? Ainda não percebi, como é que isso foi provado…

    E esclarece-me também de uma coisa, não achas que a FPF devia ter informado a UEFA que existe um recurso em andamento, que pode anular todo este caso de corrupção contra o F.C. Porto? Então, explica-me o que acontece se o Porto ficar fora da Liga dos Campeões, e o Pinto da Costa for absolvido? O Porto entra directamente nas meias-finais, ou recebe para aí uns 70 milhões de euros de indmnização?

  9. Joao diz:

    “Também informamos que o F. C. Porto não apresentou recurso das decisões da Comissão Disciplinar da Liga, pelo que as decisões tomadas contra o F. C. Porto são finais e vinculativas, pois a data limite para a apresentação de recursos já expirou. Apenas Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do F. C. Porto, apresentou recurso da decisão da Comissão Disciplinar da Liga.”

    Estou a citar o famigerado fax para a UEFA no parágrafo referente aos recursos apresentados. Parece-me bastante explícito no que se refere a quais os recursos que ainda estão em apreciação, um dos pedidos de esclarecimento que a UEFA tinha requerido. Continuo a não ver aqui qualquer “facciosismo” ou “subjectividade”. São factos, descritos da forma mais enxuta que consigo imaginar.
    No que ao resto diz respeito, uma eventual absolvição futura de Pinto da Costa não altera em nada a condenação da SAD do Porto. Como deves imaginar, é possível existir uma condenação da SAD – que já existe e é vinculativa – sem que seja possível provar a participação pessoal do dirigente Pinto da Costa. Exigir que uma absolvição induza obrigatoriamente a outra é a chico-espertice portuguesa no seu maior esplendor. Se as duas condenações estão tão umbilicalmente ligadas, o não recurso da SAD também teria de implicar a condenação final de Pinto da Costa e por aí fora.

    Quanto ao “mais escandaloso”, por muito que te custe, a tentativa de corrupção ficou mesmo provada, pelo menos perante a Comissão Disciplinar da Liga que, convenhamos, é o órgão que tem de o julgar. Já quanto a ti, Miguel, ambos sabemos que convencer-te dessas provas é, no plano físico em que nos movemos, uma impossibilidade inalterável.

  10. João Torgal diz:

    1. É lógico que o Pinto da Costa não é um santo. Agora um processo de condenação por 2 jogos realizados em alturas em que o Porto já era praticamente campeão e com base nas declarações romanceadas de Leonor Pinhão??? (sim porque todos sabemos que não foi a Carolina Salgado quem escreveu o livro). Provavelmente sempre houve corrupção no futebol português, agora o Porto é, dos grandes, o único e principal culpado??? Durante os nossos 10 últimos campeonatos (94/95 até 98/99, 02/03, 03/04 e os últimos 3) fomos sempre, com excepção do ano passado, campeões com larga margem, sem mácula. Fala-se do campeonato deste ano, mas nos anos do penta chegávamos a meio do campeonato e a coisa já estava arrumada. Em contrapartida o vosso único título desde 1994 foi, por coincidência, o mais questionável de todos. Para além da pontuação miserável que fizeram (que em qualquer outro ano dos últimos 13, desde que são 3 pontos por vitória, nem em 2º dava para ficar), foram precisos penaltys vergonhosos, jogos no Estádio do Algarve (e ainda assim foi preciso expulsar 2 gajos do Estoril para ganharem o jogo) e sabe-se lá que mais. Foi o sr. Cunha Leal a funcionar, o grande reforço do Benfica das últimas épocas, tal e qual foi pedido publicamente pelo sr. Luís Filipe Vieira, esse modelo de virtudes e seriedade. E já para não falar do tempo do fascismo, em que o Benfica era o clube oficial do Estado e, portanto, tudo devia ser permitido e nada podia ser questionado.

    2. É lógico que a missão da Federação não é encobrir o que o Porto fez. Mas é, de qualquer das formas, defender o interesse dos clubes nacionais e do futebol português e não, em vez disso, mandar mais umas achas para a fogueira, como fez o Sr. João Leal (ontem confundi-o com o Cunha Leal) Isto não é uma questão de patriotismo (como já deves ter reparado, estou-me nas tintas para isso), mas apenas tem a ver com as competências federativas, atendendo ao facto do Milan ter sido campeão europeu depois de condenado num caso de corrupção bem mais grave do que este. É que, quer vocês queiram quer não, o Porto é o único clube português da actualidade com real nome no futebol europeu e mundial (nos últimos 20 anos vencemos 2 Ligas dos Campeões, 1 Taça Uefa, 1 Supertaça Europeia e 2 Taças Intercontinentais; e o Benfica???), pelo que condenar o Porto corresponde a atacar aquele que é, a léguas, o melhor e mais importante clube português de futebol.

    3. Se o Porto não for à liga dos Campeões, é a primeira vez que o Porto não participa nas competições europeias no espaço de 34 anos. O que significa que o Porto vai à Europa desde 1974. Que coisa curiosa, é o ano do 25 de Abril. Que coincidência. Porque será???

  11. Miguel Pessoa Vaz diz:

    Bom…eu vou escusar-me a comentar mais este post, porque já se percebeu bem a minha opinião, que aliás, é a mais obvia perante os factos.

    Só não posso deixar de perguntar, Gil, se tu estás a falar doutro processo completamente diferente??? Se não, como podes dizer isto: “uma eventual absolvição futura de Pinto da Costa não altera em nada a condenação da SAD do Porto. Como deves imaginar, é possível existir uma condenação da SAD – que já existe e é vinculativa – sem que seja possível provar a participação pessoal do dirigente Pinto da Costa”. Deves ter proferido essa afirmação, por pura piada. Então, se o F.C. Porto SAD, é condenado, inteira e exclusivamente, pelo que o Pinto da Costa fez. Se o Pinto da Costa for absolvido, como é possivel que a SAD não o seja??? Deves estar a brincar…

  12. Miguel Pessoa Vaz diz:

    QUERIA DEIXAR AQUI UM APELO A TODOS AS PESSOAS QUE AINDA DÃO ALGUMA IMPORTÂNCIA À VERDADE DESPORTIVA: LEIAM———> ISTO
    Pois, podem dizer que o MST é faccioso. Mas o que ele ali escreve são FACTOS. E como se costuma dizer contra factos, não há argumentos.

    O texto pode ser longo, mas não é demais perder 5 a 7 minutos a ler um texto que pode demonstrar a corrupção que existe no futebol português, e para quem ela está direccionada!

  13. João Torgal diz:

    Grande texto

    “Quando toda a poeira assentar, ficará para a história apenas como mais um momento em que a inveja dos medíocres ditou a sua lei. É, em grande parte, a história de Portugal”. Está tudo dito

  14. Joao diz:

    Agora que aprendi este truque (obrigado Miguel!), consigo por exemplo reparar que distam apenas 45 palavras entre os argumentos “Ao escolher colocar sob escuta apenas os telefones de Valentim Loureiro e Pinto da Costa” e “O mais eloquente telefonema de todas as escutas talvez seja aquele em que o presidente do Benfica tem o azar de ser gravado”.
    Agora só tenho de falar com o Sr Marques para que ele me inicie na arte da leitura mística da distância entre palavras mas, pessoalmente, aposto no factor “facciocismo delirante e irremediável” para explicar esta coincidência.
    Enfim… já volto para comentar o resto do texto.

  15. Joao diz:

    Levado pela minha curiosidade, pesquisei uns minutinhos as famosas escutas com LFV e descubro que elas se referem a uma conversa com Valentim Loureiro. Mea culpa pelo comentário anterior, portanto.
    No entanto, entusiasmado pelos resultados dessa mesma pesquisa, deixo-vos apenas com uns excertos dessa famosa escuta, nas sábias palavras de MIguel Sousa Tavares, “O mais eloquente telefonema de todas as escutas “:

    Luís Filipe Vieira (LFV) – Eu não quero entrar mais em esquemas nem falar muito… (…)
    Valentim Loureiro (VL) – Eu penso que ou o Lucílio… o António Costa, esse Costa não lhe dá… não lhe dá nenhuma garantia?
    LFV – A mim?! F.., o António Costa? F… Isso é tudo Porto!
    VL – Exacto, pronto! (…) E o Lucílio?
    LFV – Não, não me dá garantia nenhuma o Lucílio!
    VL – E o Duarte?
    LFV – Nada, zero! Ninguém me dá!… Ouça lá, eu, neste momento, é tudo para nos roubar! Ó pá, mas é evidente! Mas isso é demasiado evidente, carago! Ó major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado. (…)
    VL – Talvez o Lucílio, pá!
    LFV – Não, não quero Lucílio nenhum! (…)
    VL – E o Proença?
    LFV – O Proença também não quero! Ouça, é tudo para nos f…!

    Pinto de Sousa – A única coisa que eu tinha dito ao João Rodrigues é o seguinte… É pá, há quinze [dias] ou três semanas, ele perguntou-me: “Quem é que você está a pensar para a Taça?”… Eu disse: “Estou a pensar no Paraty”…
    VL – Bem, o gajo está f… (…) O Paraty então não consegues, não é?
    PS – O Paraty não pode ser. (…) Até para os árbitros restantes, diziam assim: “É pá, que diabo, este gajo tem tantos internacionais e não tem mais nenhum livre, pá?!”. (…)
    VL – Eu nem dá para falar muito ao telefone, que ele começa para lá a desancar. (…) Mas qual é o gajo que o Porto não quer?! O Porto quere-os todos, pá! Qualquer um lhe serve!
    PS – É… Por acaso é verdade…

    Já me tinha esquecido do quanto este processo “Apito Dourado” é bonito.

  16. Joao diz:

    Como é óbvio, os smiles paneleirotes não são da minha responsabilidade.

  17. Miguel Pessoa Vaz diz:

    Ainda bem que te deste ao trabalho de pesquisar a conversa.

    Agora pergunto, será que esses investigadores do MP, estão tão atarefados a tentar incriminar o F.C. Porto, que nem sequer se deram ao trabalho de cumprir a sua função? Ou seja, como é possível que o LFV, não esteja sobre escuta a partir do momento em que diz “Ó major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado.”!!! Pois é…Então que ‘lado’ é esse? Ninguém investiga?

    Quanto ao F.C. Porto, é natural que “Qualquer um lhe serve!”, já que é a melhor equipa, então não necessita de se preocupar a escolher árbitros para os beneficiar…Ao contrário de outros…

  18. Miguel, como sabes, eu nem simpatizo especificamente com a instituição FCP por achar algumas situações demasiado escandalosas. No entanto, por vezes rio ao achar uma certa piada à forma quase aristocrata como o dirigente mor dessa casa consegue gozar com a incompetência e com a ingenuidade de jornalistas novatos (e até com a de alguns dinossauros).
    Porém, acho que se fosse portista não ia tanto alinhar no “queimar provas que não servem”, visto que sendo as evidências boas ou más, “las hay”. Eu, pessoalmente acho que mais que corrupção, no futebol em Portugal, existe tendenciosidade. O alvo…é o FCP? Não, são todos os clubes com dinheiro. Ainda mais num país com um campeonato paupérrimo, em que tudo gira à volta de 3 equipas.
    Volto a pesar a situação: Cá dentro, quem tem um olho é rei, lá fora convém ter os dois minimamente abertos. Daí, ninguém ter grandes dúvidas que a CL fica a perder se lá não tiver o Porto; Embora não que me dê muito ao trabalho de apoiar os clubes portugueses nas europeias (Torgal, deves-me um rebuçado), ninguém pode dizer que o Porto não foi a equipa que mais evidenciou Portugal nos últimos anos (o Benfica teve uma boa campanha na CL e o Sporting fez uma boa e uma média UEFA).
    Em Portugal há evidências sinistras e histórias mal contadas. Toda a gente sabe. Há até situações que transcendem o escandaloso (o Sporting não foi campeão porque um brasileiro nojento marcou um golo com a mão à frente do fiscal de linha, por exemplo – mas não é isso que eu quero discutir aqui – ). A questão coloca-se quando há situações igualmente escandalosas com outros clubes, com escândalos ao mesmo nível, que mal conseguem metade do que o Porto consegue (e aqui, não falo apenas do Benfica, mas de verdadeiras anedotas que se passam todos os anos com o Leiria, Boavista, Guimarães, Braga, Nacional, etc…).
    Concluindo, e sem querer dar nenhuma lição de ética, penso que somando tudo o que foi dito, todos os escândalos que possas atirar a envolver outras equipas soam sempre a poeira à cara. Embora não sejam os únicos, boas ou más, tendenciosas ou não, o Porto soma uma série de acusações e algumas bem graves. Isto não impede também o facto de este processo ser pior conduzido que a carroça de um mercador bêbado.
    É difícil ser levado a sério a gritar alto e convicto que não, que os outros é que são horríveis, que ali nas Antas todos são umas jóias, que apenas querem Paz com Deus. Acho que a credibilidade toda que podes ganhar perante este interminável debate se resume à ideia que, até a mim me custa um bocado a digerir (mas que de verdade não carece), de que com ou sem corrupção, com ou sem apitos finais, não há em Portugal nenhuma equipa a jogar futebol ao nível do FCP. Daí, eu até acreditar que, mesmo sem corrupção chegassem onde chegam sem qualquer problema. Digo mais: são a única reserva de futebol de nível europeu neste campeonato ridículo.
    Acredito que seja fácil apertar a corda ao Lucílio Baptista. Duvido que para ganhar nuns 8ºs de final (ou a final) da CL a conversa seja a a mesma. Por isso acho que tens razão naquilo por que batalhas, mas devias usar outras armas.

    Espero ter sido isento

  19. José Maria Pimentel diz:

    Cheguei agora a esta conversa e a preguiça impede-me de fazer a devida leitura do que já foi escrito.

    Queria só dizer – e correndo o risco de estar a repetir algo já dito – que o que está em questão nos processos do AD e AF não é o facto do Pinto da Costa ser ou não corrupto, algo típico da “conversa de café”, cujo consenso é sempre impossível, por escassez de provas. Ora é precisamente com esse mal que se depara a acusação.

    O que está em questão não é, como disse, a corruptez do senhor, mas sim se há ou não provas para o acusar.

    Por outras palavras, e exemplificando, na análise da decisão de um julgamento nunca podemos pensar se achamos ou não o réu culpado, devemos, sim, indagar sobre se, de acordo com as provas, ele devia ter sido acusado.

    É exactamente isto que se passa com o Pinto da Costa. E neste caso, é evidente, não há provas cabais para uma acusação, muito menos nestes termos…

    Isto para não falar na conduta absolutamente repreensível da Liga (ou lá do que foi) na denúncia à UEFA, coadjuvada pelo solícito Benfica.

  20. Simplesmente acho que ao dizer que o JNPC é uma flor inocente ou vir com esses eufemismos do “não há provas cabais” estamos a encobrir a podridão toda e pactuar com a nojeira do futebol.
    Por outro lado, a tendência e vir com o discurso oposto em que supostamente haverá um corrupto e o resto é tudo “gente bem” é uma tremenda hipocrisia na mesma…

  21. José Maria Pimentel diz:

    Oh Band…

    Tu só estas a dar-me razão, com expressões como:

    “flor inocente”

    Atenta ao facto de que os telefonemas do PC foram escutados durante meses a fio e agora diz-me que provas cabais é que há de que houve corrupção?

  22. Não quero, obviamente entrar pela conversa do livro da prostituta que é referido aqui no texto, já que acho ridículo andarem a fomentar um inquérito em torno de um best seller, mas começa tu a pensar em outros nomes ligados ao FCP e pensa por ti.
    Já te disse que tens duas hipóteses, agora pensa o que quiseres…

  23. ERRATA

    e pensa por ti -> e conclui por ti

  24. José Maria Pimentel diz:

    Não percebes?

    Aqui o que se discute não é se o PdC é corrupto ou não. Discute-se se há provas para o condenar. E não há. Por e simplesmente não há!

    Não concordas?

  25. Ao JNPC talvez… A mim é indiferente se condenam ou não, até para o clube deve ser por uma razão: O que interessa passa-se dentro das 4 linhas, e aí praticam um futebol superior sem dúvida. Agora dizer “não há provas, não há fundamentos, nada se passa, olhem para este, olhem para aquele” é espalhar poeira.
    Acho que não deve haver medo de acusar e punir quem merece, até porque há gente a precisar de ser saneada em toda a 1ª e 2ª liga.

  26. José Maria Pimentel diz:

    Houve uma investigação. É sobre as provas resultadas dessa investigação que se deve actuar.
    Acontece que não houve provas cabais. Ponto!

    Tudo o resto é, como dizes, “espalhar poeira”.

    P.S. Está complicado perceberes que não estamos a falar da culpa ou não do homem, mas sim de haver ou não provas para o acusar.

    “Acho que não deve haver medo de acusar e punir quem merece, até porque há gente a precisar de ser saneada em toda a 1ª e 2ª liga.”

    É exasperante…

  27. Clubismos de parte, considero de franco mau gosto não acreditar na inocência de Pinto da Costa, já dizia um escriba que estes “mal entendidos” têm apenas a finalidade de perseguir e aniquilar o impoluto presidente do FCPorto.

    Mas afinal de contas, ele é apenas denominador comum nos quinhentinhos, nos guímaros, nos jp’s, nas frutas, nos calheiros e nas suas viagens, nos golos-fantasmas, nas quedas-fantasmas, nas defesas-fantasmas, nas agressões a colegas e árbitros, nas agressões outrora silenciosas nos famosos túneis, nos comentadores especializados nessas especialidades, nas visitas às casas de passe antes dos jogos e a outras casas que conseguem ser ainda menos recomendáveis, na subserviência dos clubes pequenos e na subserviência daquele que devia ser o clube maior de todos os portugueses, no marfim nos aeroportos, nos gangues de segurança pessoal, no desconhecimento policial…

    E agora com escutas – cortadas (quiçá pelo “amigo” da PJ?) – há que continuar a defender o pobre coitado… Também há ainda muita gente que continua a não acreditar que houve o Holocausto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s