O fantasma do Euro

Pego num tema típico das chamadas “Conversas de Café”, pelo que penso que se adequa na perfeição a este espaço.

Trata-se do “suposto” aumento radical dos preços com a passagem do escudo para o Euro, em 2001.

Sempre defendi – contra a ira geral, diga-se – que tal não se tinha verificado. Embora admita que os “arredondamentos” foram, logicamente, quase sempre feitos para cima (“chamem-lhes estúpidos”), não me parece que isso possa ter feito os preços aumentar drasticamente (os 100 escudos passaram a ser o Euro, como se costuma dizer).

Se compararmos os preços de agora (por exemplo, do café), e pensarmos no que nos ficou na memória do escudo, somos levados a pensar que este bem “fundamental” custava antes 50 escudos, custando agora 50 centimos. Na verdade, se puxarmos pela memória, é fácil perceber que não só o café já não custava 50 escudos em 2001 como não passou logo a 50 centimos com a passagem para o Euro. E este aumento deveu-se, entre outras coisas, principalmente à inflação (maior neste produto.

Um exemplo mais óbvio é o dos gelados. Se a minha memória não me trai, já com o escudo me queixava que os 200 e tal escudos que um magnum custava eram exorbitantes. Et voila, hoje continuo a queixar-me do mesmo…

Para terminar, deixo “a prova”. Um artigo, que vale o que vale, que encontrei por aí (leia-se, na Internet).

Chamo a atenção para o facto de o aumento da inflação entre Dezembro e Janeiro se ter cingido aos 0.27% (bem menos que os 50% da crença comum, convenhamos), motivado pelos ditos arredondamentos.

Finalmente, é de notar que este artigo é de 2002, pelo que qualquer argumento baseado no desfasamento temporal é inválido.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

4 respostas a O fantasma do Euro

  1. SELENA diz:

    ESTA MUITO COMICO

  2. José Maria Pimentel diz:

    É…risada mésmo!

  3. Cabeza diz:

    Encontrado no site da comissão, tem todo o ar de ser da tua lavra, josé.

  4. Zuruspa diz:

    Caí aqui por acaso, e olha, um belíssimo artigo! Estava a ver que era só eu que tinha boa memória!
    Pois diz em poucas palavras o que se passou em Portugal, e porquÊ. É a aversäo natural do tuga a fazer contas (que dividir/multiplicar por 200 é um enoooooorme problema…)!!!

    Entretanto um canadiano elucidou-me:
    http://www.head-fi.org/t/1045/tea-or-coffee/45
    (escrito em Agosto de 2001)

    Mas eu vou mais longe e desafio os Morgados e os Pexitas a mostrarem-me recibos e tabelas preçárias de 2001 e 2002. É que eu lembro-me bem do café já em 2001 custar 90$00, e isto na terrinha, que em Lisboa já eram 100 ou mais. E em Itália em 1998 já o caffé era a 1.500 liras e o cappuccino a 1.800 liras (150 e 180 escudos).

    Cafezinho em Portugal a 50$00? Pois era… em 1990!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s